Apenas supondo

O Mullá caminhava pela rua, absorto em seus pensamentos, quando de repente, uns pirralhos começaram a atirar pedras nele.

"Não façam isso e eu lhes contarei algo que lhes interessa."

"Está bem, o que é? Mas, não nos venha com filosofia."

"O Emir está oferecendo um banquete aberto a todos."

As Crianças sairam correndo para o palácio, enquanto Nasrudin começava a entusiasmar-se com sua história, com as guloseimas e delícias da festa.

Levantou os olhos e viu-os desaparecendo ao longe. De repente, levantou sua túnica e saiu correndo atrás deles.

"E melhor que eu vá e veja", disse Nasrudin ofegante, "pois afinal, bem que poderia ser verdade".

Postagens mais visitadas deste blog

O Cavalo Mágico

O ELEMENTO INESPERADO

O Mestre da Opção