Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2008

Moisés e o Pastor (Jalaluddin Rumi)

Certa vez, Moisés ouviu um pastor rezando assim:

"Ó Deus, mostra-me onde estás, para que eu possa tornar-me Teu servo. Limparei Teus sapatos e pentearei Teus cabelos, coserei Tuas roupas e irei buscar leite para Ti."

Ao ouvi-lo rezar dessa maneira insensata, Moisés repreendeu-o dizendo:

"Ó tolo, embora teu pai fosse um crente, tu te tornaste um infiel. Deus é um Espírito, e não necessita desses cuidados grosseiros, como tu, em tua ignorância, supões."

Envergonhado com essa censura o pastor rasgou suas vestes e fugiu para o deserto. Então ouviu-se uma voz do céu dizendo:

"Ó Moisés, por que fizeste partir meu servo? Teu ofício é reconciliar meu povo comigo, e não afastá-lo de mim. Dei a cada raça diferentes costumes e formas de louvar-me e adorar-me. Não tenho necessidade de seus louvores, estando acima de toda necessidade. Não considero as palavras que são ditas, mas o coração que as oferece. Não exijo belas palavras, mas um coração ardente. São várias as formas d…

Allah suprirá

"Allah suprirá", dizia Nasrudin certo dia a um homem, que se queixava por alguém ter lhe roubado um dinheiro guardado em sua casa.

O homem expressou suas dúvidas.

Nasrudin levou-o à mesquita e rolou pelo chão, invocando Allah para que restituísse as vinte moedas de prata do homem.

Incomodada com aquela presença, a congregação angariou donativos e o total foi entregue ao surpreso homem.

"Você pode não compreender os meios que operam neste mundo, mas seguramente compreende o fim quando este lhe é entregue de forma tão concreta", disse o Mullá.

Quando se preocupar

O burro de Nasrudin estava perdido. Todos ajudavam a procura-lo pelas redondezas.

Alguém disse: "Você não parece nem um pouco preocupado. Será que não se dá conta de que seu burro poderá não ser mais encontrado?"

Ao que Nasrudin respondeu: "Você vê aquele morro mais ao longe? Ali ainda ninguém procurou. Se não acharem nada por lá, daí eu começo a ficar preocupado".

Apenas por graça...

Ao perceber um vulto branco na penumbra do jardin, Nasrudin pediu a sua mulher que providenciasse seu arco e flexa. Atingiu o objeto, saiu para ver o que era e voltou lívido, prostrado.

"Essa foi por um triz, Imagine só. Aquela minha camisa secando lá fora... Se eu estivesse nela, já teria sido morto. A flexa pegou bem no coração."