Parece ser tu



Na praça do mercado, Nasrudin profundamente absorto, recitava uma ode:

"Ó, amada!
Todo meu ser interior está tão repleto de tí,
Que tudo o que se apresente a minha visão,
parece ser tu!"

Um engraçadinho então gritou:

"E se um imbecil apresentar-se à sua visão?"

Sem deter-se, como se fosse um estribilho, o Mullá continuo:

"Parece ser tu!"



Postagens mais visitadas deste blog

O Cavalo Mágico

O ELEMENTO INESPERADO

O Mestre da Opção