quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

A Viagem

Wali, um amigo de Nasrudin, escorregou e caiu de uma altura imensa.

Na noite seguinte, Nasrudin sonhou que estava visitando o Céu e que lá encontrava Wali.

"Como foi aquilo Wali?"

"O impacto foi terrível, mas a viagem... A viagem foi demais!"

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Como estudar

"Como foi que você aprendeu tanto Nasrudin".

"Falando muito", respondeu ele. "Vou colocando em sequência todas as palavras que me ocorrem. Quando eu fico interessante, posso ver o respeito no rosto das outras pessoas. Na hora em que isso acontece, começo a tomar nota mentalmente do que disse".

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Figos e não abóboras

Nasrudin havia colhido algumas abóboras em sua horta e pensou em levá-las de presente a Tamerlão, o Rei.

Um amigo seu, que gostava de brincadeiras de mau-gosto, ao saber das intenções de Nasrudin, sugeriu que ele levasse figos ao palácio ao invés de abóboras, pois sabia que o Rei Tamerlão odiava até mesmo olhar para figos.


Nasrudin aceitou a sugestão do "amigo," e com a bolsa cheia de figos foi ao palácio visitar o Rei.


"O que você traz ai Mullá?", perguntou intrigado Tamerlão.


"Ó alteza!", exclamou Nasrudin curvando-se, "trago-vos um presente que certamente vos agradará".


Ao abrir a sacola e ver os figos, o Rei ficou louco de raiva.


"Que brincadeira de mau-gosto é esta??? Guardas, atirem estes figos horrorosos na cabeça desse homem".


Prontamente, um por um, os figos foram acertando a cabeça do Mullá e, a cada vez Nasrudin erguia os braços e agradecia a Deus.


Surpreso, Tamerlão perguntou: "Mas, Mullá, o que você esta agradecendo?"


"Ó meu senhor! Agradeço a Deus por eu ter trazido figos e não abóboras".


O HOMEM CUJA HISTÓRIA ERA INESPLICÁVEL

Era uma vez um homem chamado Mojud. Ele vivia numa cidade onde havia conseguido um emprego como pequeno funcionário público, e tudo levava...