O Atalho


V
oltando para casa, em uma dessas manhãs maravilhosas, Nasrudin pensou que seria uma boa idéia tomar um atalho pelo mato.

"Porquê", perguntava a si mesmo, "deveria arrastar-me por uma estrada poeirenta, quando posso estar em comunhão com a natureza, ouvindo o canto dos passáros e admirando as flores? Este é um dia verdadeiramente especial, um dia para se buscar a boa fortuna."

Dizendo isso, adentrou na floresta. No entanto, não havia ido muito longe, quando caiu num buraco, e ali permaneceu deitado em reflexão.

"Afinal de contas, não é lá um dia assim tão afortunado... Mas, foi melhor ter vindo por esse atalho... Se coisas assim podem acontecer num cenário tão bonito como esse, imagina o que não me poderia ter me acontecido naquela estrada imunda?"



Postagens mais visitadas deste blog

O Cavalo Mágico

O ELEMENTO INESPERADO

O Mestre da Opção