quinta-feira, 28 de maio de 2009

Os papéis do homem



"Irmão", disse Nasrudin a um vizinho, "estou fazendo uma coleta para pagar a dívida de um pobre homem que não pode cumprir suas obrigações."

"Lindo gesto", disse o homem, e deu-lhe uma contribuição. "Quem é esse homem Hodja?"

"Eu", disse o Mullá enquanto se afastava rapidamente.

Algumas semanas depois, lá estava ele novamente batendo à porta do vizinho.

"Imagino que você tenha vindo por causa de uma dívida", disse o homem sinicamente.

"É isso mesmo", disse Nasrudin.

"Suponho que alguém não pode pagar uma dívida e que você queria uma contribuição..."

"Não dessa vez."

"Ah, estou feliz por ouvir isso! Tome esta moeda."

"Uma pergunta, Nasrudin, o que é que mobiliza seus sentimentos humanitários nesse caso em particular?"

"Bem, é que eu sou o credor."



quinta-feira, 21 de maio de 2009

Acho que você está com a razão!



N
asrudin foi empossado como juiz. Durante seu primeiro caso, o queixoso argumentou tão persuasivamente, que ele exclamou:

"Acho que você tem razão"

O funcionário do tribunal rogou-lhe que se contivesse, pois o acusado ainda não havia sido ouvido.

O Mullá ficou tão envolvido pela elouquência do acusado, que assim que o homem terminara de expor suas evidências, disse:

"Acho que você tem razão"

O funcionário do tribunal não podia permitir que isso acontecesse.

"Excelência, não dá para os dois terem razão"

"Acho que você tem razão!", disse Nasrudin




quinta-feira, 14 de maio de 2009

Lecciones de flauta



H
odja siempre queria aprender algo nuevo, entonces un dia el tuvo la subita inspiracion de aprender a tocar la flauta.

Asi fue a un maestro de musica y le pregunto:

''Cuanto cobra por lecciones privadas de flauta?''

''Tres piezas de oro el primer mes, y luego una pieza por mes.''

''Oh! Muy bien. Entonces empezamos por el segundo mes''.




O HOMEM CUJA HISTÓRIA ERA INESPLICÁVEL

Era uma vez um homem chamado Mojud. Ele vivia numa cidade onde havia conseguido um emprego como pequeno funcionário público, e tudo levava...