quinta-feira, 25 de junho de 2009

Se é pelo manto e pelo turbante...



Um iraniano pediu ao Mullá que lhe lesse uma carta que recebera de um amigo.

Nasrudin olhou a carta. Estava escrita em persa e a caligrafia era péssima. Então disse ao homem: "arruma outra pessoa para lê-la".

O homem insistiu.

"Escuta! Eu não sei persa", explicou o Mullá. "E ainda se fosse em turco, a letra de seu amigo é tão ruim que eu não seria capaz de lê-la".

O iraniano enlouqueceu: "Você está vestindo um turbante e um manto de tal imponência e não é capaz de ler uma simples carta?! Você deveria se envergonhar!"

Nasrudin tirou seu turbante e seu manto e deu-os ao iraniano: "Então leia a carta você mesmo".



O HOMEM CUJA HISTÓRIA ERA INESPLICÁVEL

Era uma vez um homem chamado Mojud. Ele vivia numa cidade onde havia conseguido um emprego como pequeno funcionário público, e tudo levava...