NASRUDIN E OS SÁBIOS

Filósofos, lógicos e doutores em direito, reuniram-se na corte para interrogar o Mulá Nasrudin. Era um caso muito sério, pois Nasrudin havia admitido ter ido de aldeia em aldeia e afirmando que, "os pretensos homens sábios são ignorantes, irresolutos e confusos."

Ele estava sendo acusado de debilitar a segurança do Reino.

"Você pode falar primeiro Mulá", disse o rei.   

"Tragam papéis e lápis", disse o Nasrudin "e seja distribuído para os primeiros sete eruditos".

O material foi distribuído para cada um deles. 

"Que cada um, separadamente, escreva uma resposta para a seguinte pergunta: o que é pão?".  

Depois de algum tempo, os papéis foram entregues ao rei, que os leu em voz alta. 
O primeiro estava escrito: "Pão é um alimento."
O segundo: "farinha e água."
O terceiro: "uma dádiva de Deus."
O quarto: "Pão é massa assada."
O quinto: "mutável, de acordo com o que se quer dizer com pão." 
O sexto: "uma substância nutritiva." 
O sétimo: "ninguém realmente sabe o que é pão."

"Quando eles decidirem o que é pão", será possível decidirem outras coisas como, por exemplo, se estou certo ou errado." 

"Pode-se confiar questões de avaliação e julgamento a pessoas assim?" 

"É estranho que não consigam concordar sobre uma coisa que comem todos os dias e sejam unânimes em afirmar que eu sou um herege?"   

Postagens mais visitadas deste blog

OBSERVAR OS PASSOS

O Cavalo Mágico

O ELEMENTO INESPERADO